Os textos por aqui quase sempre começam com uma breve introdução de como elaboramos e preparamos a brincadeira. Pois, no caso do baseball com tubo de papelão (nós a batizamos assim depois), isso será impossível. Simplesmente porque nós não planejamos essa brincadeira. Ela partiu totalmente do Douglas, que avistou uma bolinha jogada e  um tubo de papelão do rolo de papel-toalha (separado para outra proposta) e começou a empurrar a bolinha utilizando o tubo, mostrando pra gente todo orgulhoso o que estava fazendo.

Estávamos em um corredor, então, o que começou devagarinho logo se transformou em fortes arremessos de um lado para o outro, seguido de sorrisos e gritos de satisfação.

O Douglas experimentou várias formas de segurar o tubo e de lançar a bolinha. Na hora, nós até pensamos em maneiras de “aperfeiçoar” a brincadeira, mas achamos que não faria sentido interferir em algo que ele tinha bolado sozinho (e do que estava tão orgulhoso).

Não concordam? 😉