A gente adora fazer arte! E adoramos mais ainda dispensar o pincel e escolher outros materiais menos óbvios para nossas produções. Vale usar as mãos, alimentos, pote de desodorante, um sopro bem forte e até os pés. Confira a seguir cinco jeitos diferentes de convidar seu pequeno Picasso a pintar.

1. Carimbo com alimentos

Cortamos uma carambola, uma maçã, uma laranja e um pimentão e convidamos a Luiza a carimbar. Num primeiro momento, ela mergulhou os alimentos bem fundo nas bandejas de tinta e teve dificuldade até de pegá-los de volta. Em seguida, quando ela carimbava com eles no papel, os carimbos acabavam deslizando, fazendo um grande borrão de tinta, e não o formato do alimento. Aos poucos, foi apurando suas habilidades e os desenhos ficaram mais precisos. A sujeira é garantida!

2. Pintura com os pés

A nossa ideia era propor à Luiza que pintasse com os pés encapados com plástico bolha. Mas não teve jeito: ela não quis usá-lo de jeito nenhum. Então, a pintura foi feita com os pés direto na tinta mesmo. Forramos o chão com papel craft e e viramos um pouquinho de tinta no papel. Ela, claro, correu a pisar nas “poças”. Primeiro se divertiu sujando os pés nas tintas e carimbando o papel, chamando a atenção para a forma que fazia. Mas o ápice da brincadeira foi quando ela iniciou uma espécie de sapateado sobre as tintas, caindo na gargalhada a cada deslizar. O apoio de um adulto é indispensável, pois o risco de escorregar é bem grande.

3. Pintura com roll-on

Oferecemos tubos de desodorante roll-on para o Dougla pintar. Ele topou na hora! Tínhamos a ideia de colocar as tintas dentro dos potes, de modo que ela fosse saindo à medida que ele os rolasse sobre o papel. Mas quem disse que a gente conseguiu tirar aquelas bolinhas rolantes? Então, optamos por despejar as tintas em tampinhas e ele foi molhando o roll-on e passando-o sobre o papel. O Douglas observou atento as formas irregulares que surgiam, como rabiscos, e logo passou a experimentar misturar as cores, criando novas tonalidades. Como ele usava o mesmo tubo para pegar as tintas (havia vários disponíveis, mas ele se concentrou em utilizar um deles), rapidamente as tampinhas também ficaram multicoloridas. Ele se divertiu a valer.

4. Bolhas que pintam

Que tal pintar com bolinhas de sabão? Para deixá-las coloridas, misturamos tintas guache com água e detergente em copinhos descartáveis. Depois, ofertamos um canudo para que a Sofie e sugerimos que ela soprasse dentro dos copinhos. A cada soprada, uma expressão de surpresa junto de uma risada. As bolhas cresciam dentro dos copinhos e derramavam na folha que estava no chão. Ela, claro, não queria mais parar de soprar!

 

5. Pintura com pasta de dente

Nesta brincadeira, não sabemos dizer do que a Sofie gostou mais: se do cheirinho refrescante da “tinta”, se na consistência firme ou de acrescentar a anilina aos pouquinhos à pasta para chegar à cor desejada. Para prepará-la, é só misturar pasta de dente branca com anilina alimentícia em potinhos. A Sofie misturou tudo com as mãos mesmo. Começou fazendo desenhos discretos, com as pontinhas dos dedos. Mas não demorou a surgir a ideia de passar a tinta na mão toda e carimbá-la no papel. A brincadeira rolou solta por um tempão e terminou com todo mundo pintado.