O livro é grande e vermelho, mas tem algo nele que chama ainda mais a atenção: um grande buraco no meio da capa – e em todas as suas páginas. Pode parece um defeito de fabricação, mas fique tranquilo: não é. A proposta de O livro com um buraco, do francês Hervé Tullet, é convidar o leitor a interagir com o objeto livro de inúmeras maneiras diferentes. Assim, mais do que desenhar, pintar ou recortar, a proposta deste livro é envolver completamente a criança na brincadeira – ou, melhor dizendo, no buraco: vale colocar o rosto, enfiar o braço, fazer dele uma cesta de basquete e tudo mais que a inventividade permitir.

Cada dupla de páginas traz uma ilustração, que, junto com um pequeno texto orientador, propõe alguma intervenção no buraco. O buraco pode funcionar como uma lente de aumento para observar os insetos, uma piscina para mergulhar, uma pista de corrida cheia de obstáculos e até uma ilha tropical. Dá ainda para fazer a tromba de um elefante com o braço ou jogar basquete com papel amassado. O buraco pode ser a boca de um monstro horripilante – e aí o convite é para fazer os dentes afiados com os dedos – ou uma panela fumegante para desenhar – em uma folha de papel colocada sob o livro – a comida mais saborosa. E o mais legal é que, como o leitor não rabisca ou desenha no próprio livro, várias crianças podem usar o mesmo exemplar à sua maneira.

Um livro para brincar sozinho ou em grupo. Só não vale cair dentro do buraco.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

O livro com um buraco

Hervé Tullet

Tradução: Emilio Fraia

Formato: 27,5 x 32 cm

Páginas: 96 pp. ilustradas