Já cansamos de dizer aqui que às vezes a brincadeira está nas coisas mais simples e que não é preciso muita elaboração ou muito gasto para um momento de diversão. Essa brincadeira é mais uma prova viva disso. Ela rendeu um tempão de concentração e inventividade!

Nós oferecemos à Luiza algumas cartelas daquelas etiquetas adesivas redondinhas, de diferentes cores e tamanhos. E, junto com elas, uma caixa de papelão. Nem precisou muita explicação para que a Luiza começasse a destacar as bolinhas e a colá-las na caixa.

A hora de descolar a bolinha na cartela exigiu dela bastante concentração. Algo que nos parece tão banal e que é um baita desafio para as crianças, não é mesmo? Nós não interferimos, e deixamos que ela realizasse cada etapa. Aos poucos, ela foi aperfeiçoando a técnica e percebeu que, se amassasse um pouquinho a cartela, conseguia pegar a bolinha com mais facilidade.

Colou bastante de um lado da caixa, a virou e começou a colar do outro. Colocou duas bolinhas bem pertinho, uma maior e uma menor, e repetiu a mesma composição três vezes. Depois, nos disse que eram ela, a mamãe e o papai.

E, como tudo pode ser suporte para uma produção artística, por que não encher o pé de bolinhas também? A Lulu achou graça na própria invenção. E a gente achou o máximo!