Já demos aqui diversos exemplos de que nem só de papel vive o desenho. Para o Rafa, oferecemos uma baita caixa de papelão como suporte para sua obra de arte. Com uma textura diferente, a caixa proporciona uma experiência totalmente nova. Além de não amassar e rasgar com tanta facilidade como o papel, o que é ótimo para as crianças pequenas.

Difícil dizer se o Rafa gostou mais de desenhar na caixa ou de brincar com as canetinhas. Primeiro, ele explorou o fundo da caixa experimentando várias cores.

Depois de muito rabiscar, ele atentou para aquele monte de canetinhas destampadas no chão. E passou a tampá-las. Cuidadoso, procurava sempre a tampa da cor certa. O Rafa está começando a aprender a identificá-las e adorou brincar de encontrar a tampa correspondente. Sempre dizendo, do seu jeitinho: “verde”, azul”, “vermelho”… Ou seja: além de uma brincadeira de arte, foi também uma oportunidade de explorar as cores.

Quando notou que as laterais da caixa ainda estavam intactas, voltou a desenhar nessas partes. Às vezes, o Rafa segurava a canetinha ao contrário e, claro, o traço não saía. Aí ele matutava um pouquinho e logo invertia a posição, todo contente por ter conseguido corrigir o “problema”.

E, de tanto segurar as canetinhas do lado contrário, o Rafa terminou com as mãos bem rabiscadas (e a roupa também ganhou um toque de cor rsrs). Ele não é muito fã de sujeira e ficou um pouco incomodado com isso. Mas nada que umas boas lavadas não tenham resolvido.