Se mamães e papais costumam ficar de cabelo em pé quando as crianças desenham na parede, saibam que é justamente essa a proposta desta brincadeira. Mas não estamos falando de qualquer parede: estamos falando de algum cantinho coberto de azulejo. Pode ser na cozinha, na área de serviço ou no banheiro, tanto faz. E também não é qualquer material de desenho: nós usamos giz de lousa molhado, para o traço ficar mais forte. E o melhor: depois é só passar um paninho molhado que sai tudo fácil, fácil.

O Rafa ficou todo contente com a possibilidade de desenhar na parede. Primeiro, se ocupou de examinar os gizes coloridos. Como já contamos aqui, ele está numa fase bem gostosa de identificar as cores e ficou um tempo só pegando giz por giz e nomeando os tons. Quando começou a desenhar, ficou ainda mais curioso com aquele objeto. Olhava lá dentro, como se quisesse dizer: “Como esse treco desenha? Cadê a ponta?”.

A partir daí, foi só diversão e muito rabisco colorido. Quando algum giz quebrava, o Rafa ficava todo intrigado, examinando cada pedacinho. Como também já contamos por aqui, o Rafa é um menino bem observador.

 E não é que até com a mão esquerda ele desenhou? =)

Quando ele se cansou, só tivemos o trabalho de guardar os gizes e passar um paninho na parede e no chão. Até do rejunte foi fácil de tirar os rabiscos.

Uma brincadeira perfeita para quando não temos muito tempo de preparo, mas sobra criatividade e disposição. Além da questão artística, foi também um momento de novas descobertas e muitas surpresas.