Essa tinta não ficou exatamente como a gente imaginava, mas rendeu uma boa brincadeira e (alguma) sujeira. Quando cogitamos a possibilidade de fazer uma tinta com sabão em pó, a ideia era que ela ficasse espumante, com uma consistência bem aerada.

Mas não foi bem isso que aconteceu. Batemos o sabão em pó com um pouquinho de água morna (bem pouquinho mesmo). Depois, acrescentamos corante. A Luiza escolheu a cor vermelha, mas, como o sabão era azul, o resultado foi esse tom de terra, meio amarronzado. Então, já fica aqui a primeira dica: use um sabão em pó branco, para obter uma cor mais fiel ao corante escolhido.

A Lulu participou de todo o processo, desde a confecção da tinta. E, embora a consistência tenha ficado meio líquida, ela adorou pintar na cartolina, utilizando os dedos como pincel.

Os dedos? Na verdade, ela mergulhou as mãos inteiras na tinta e se divertiu deslizando-as sobre a cartolina. Afinal, sendo uma tinta de sabão, ela ficou superdeslizante.

E, quando cansou de explorar com as mãos, a Lulu não teve dúvida: mergulhou os pés na tinta e passou a pintar com eles, fazendo um monte de pegadas.

 Depois, só tivemos o trabalho de limpar a bagunça e esperar a obra de arte secar. No final, já nem lembrávamos mais que a experiência não tinha dado exatamente certo. Porque, no fim das contas, não existe certo e errado quando se trata de brincadeira.