A gente não se cansa de inventar moda quando o assunto é brincadeira artística. Dessa vez, propusemos ao Rafa fazer uma pintura bem lúdica, utilizando bolinhas de gude no lugar do pincel. O resultado foi muita diversão e descoberta.

Depois de forrar o chão com papel craft, colocamos uma cartolina branca sobre ele e pedimos ao Rafa para escolher as cores de tinta guache com as quais gostaria de trabalhar. Aí, despejamos um pouco das tintas na cartolina e oferecemos algumas bolinhas de gude a ele. É importante lembrar que essa brincadeira nunca pode ser feita sem a supervisão de um adulto, já que há risco de as crianças pequenas colocarem as bolinhas de gude na boca.

O Rafa rapidamente entendeu a proposta e começou a rolar as bolinhas sobre a cartolina, tentando fazer com que elas passassem por cima das “poças” de tinta. À medida que a bolinha seguia rolando, suja de tinta, deixando um rastro colorido no papel branco, o Rafa sorria de satisfação.

Claro que às vezes a bolinha rolava demais e ia deixando seu rastro inclusive no papel craft. Para que o chão também não ganhe uma corzinha, uma dica é dobrar as laterais do craft para cima, criando uma barreira.

E que graça tem brincar com tinta se não for para se lambuzar todo, não é mesmo? Depois de rolar as bolinhas para lá e para cá, o Rafa as deixou meio de lado e transformou a brincadeira artística em uma brincadeira sensorial, esfregando as tintas nas mãos, misturando as cores e observando os tons que conseguia obter.

Então começou a usar as próprias mãos para espalhar a tinta que ainda havia na cartolina, com bolinha e tudo.

A obra do Rafa ficou incrível, bem diferente do que se tivesse sido feita com os objetos de pintura tradicionais. As mãos dele também ficaram incríveis. E as pernas, e os pés… E a gente, morrendo de felicidade por ter proporcionado essa experiência tão enriquecedora a ele.