Quem pensa que brincar de pescaria é só em época de festa junina está redondamente enganado! E nessa versão é preciso usar a cabeça, literalmente.

Colocamos um boné na cabeça da Sofie e, na aba, prendemos com um pregador de roupa um barbante com um ímã na pontinha. Estava pronta a nossa vara de pescar. No chão, distribuímos uma série de objetos magnéticos: clipes, ímãs de geladeira, caixinha de metal, chaveiro. Só não pode ser nada muito pesado, ou a varinha não vai aguentar. E entregamos a ela uma bandejinha de isopor, para ela depositar os objetos coletados.

Como a vara balança, por conta do barbante, capturar um objeto é um baita desafio. Às vezes, a Sofie não resistia à tentação de dar uma ajudinha com as mãos. Mas aos poucos foi pegando o jeito e encarando a brincadeira sem “roubar”.

O que ela gostava mesmo, no entanto, era quando os clipes se enroscavam um no outro e vinham todos juntos presos na varinha. Aí era risada na certa.

Depois de pescar tudo, ela devolvia os objetos no chão e recomeçava a brincadeira. E ainda pediu para levar o boné pra casa, para que pudesse brincar mais em outras oportunidades. Essa é, sem dúvida, a melhor recompensa para nós.